O efeito alavanca nas organizações

Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio e eu levantarei o mundo !     [Arquimedes]

Na física, uma alavanca é um objeto rígido que é usado com um ponto fixo apropriado (eixo) para multiplicar a força mecânica que pode ser aplicada a um outro objeto (resistência). Assim, para levantar um objeto determinado, agir à distância e de maneira amplificada, é possível aplicar uma força reduzida desde que se utilize uma alavanca suficientemente grande. No entanto, a altura do objeto a ser levantado é limitada.

No meio organizacional, a metáfora da alavanca é freqüentemente usada para se referir a modalidades de ação que os gestores mobilisam para atingir os seus fins. Simons (1994) explica que os sistemas de valores, regras, interação e ferramentas de gestão são algumas das alavancas de controle que os gestores implementam conforme eles queiram manter ou não a linha estratégica.

De forma mais genérica, o termo “alavanca” é usado para descrever o ponto de apoio de uma política empresarial. Esta metáfora reflete a busca de maior eficiência na prática de gestão: um menor esforço para muito maiores potencialidades. Pode-se também considerar a alavanca como um distanciamento do ponto de apoio (ou seja, a realidade diária) que garanta uma reflexividade no processo de tomada de decisão.

Se a alavanca for considerada na sua definição mais positiva, o seu uso não é menos arriscado. Na física, a distância até o ponto de apoio aumenta a capacidade de levantar cargas pesadas, mas enfraquece o braço de alavanca. O ponto de apoio deve também ser suficientemente sólido e estável. Apostar num efeito de alavanca requer a segurança preventiva do dispositivo. Pode ser para garantir que os sistemas de valores sejam compartilhados, que as redes de comunicação sejam estáveis, ou que a distância crítica oportuna seja mantida.

O comitê científico do IFBAE convida pesquisadores a submeter artigos que façam das alavancas em gestão um objeto de pesquisa, em qualquer disciplina: Marketing, Finanças, Inteligência económica, Administração pública, Gestão internacional, Comunicação para organizações, Gestão de recursos humanos, Controle de gestão, Contabilidade, Logística, Systemas de informação, etc.

As propostas deverão contribuir para definir com maior precisão que é chamado de alavanca em administração, as potencialidades decorrentes, e seus limitações ou riscos que correm as organizações pelo fato de usarem as alavancas.